O Seu Pior Inimigo – Sorrateiro, ele está dentro de você. Nome: Hesitação

Não é possível viver na ciclotomia
de ser o melhor o mundo numa
hora e o pior na outra

(*) Jacques Meir

Atenção, Empresário, Executivo, e Diretor de marketing brasileiro. Há um inimigo poderoso derrotando você, sua marca e sua empresa. Mais que poderoso, é o seu pior, mais astuto e sorrateiro inimigo. Você consegue identificá-lo? Pois bem. Seu pior inimigo não é o seu concorrente, que investe pesadas somas em marketing e propaganda e em lançamentos de produtos. Seu pior inimigo não é o governo com seu manicômio fiscal, sua incapacidade de investir corretamente em políticas voltadas para o bem comum. Seu pior inimigo não é a globalização e a volatilidade dos mercados. Seu pior inimigo muito menos é a Nova Economia, com agilidade e dinâmica nunca vistas. Seu pior inimigo não é nem a gestão de sua própria empresa, seus funcionários ou produtos. É um inimigo tão sagaz que passa despercebido até mesmo pelas mais conceituadas consultorias.

Diga muito prazer à hesitação. Um inimigo poderoso, que permeia e geralmente trava todas as decisões de vulto da sua empresa, em todos os escalões, em maior ou menor grau. Hesitação na hora de propor, desenvolver e implementar soluções, métodos, procedimentos. Hesitação na hora de decidir novos investimentos. Hesitação na hora de contratar. Hesitação na hora de responder à concorrência.

Bem sabemos que mais vale se arrepender do que fizemos do que daquilo que deixamos de fazer. Que o erro é melhor que a omissão. Pois então, nos enchemos de coragem, fazemos planos, elaboramos estratégias, nos atiramos com afinco à busca por melhores custos de implementação e, na hora H, um sentimento de temor, pânico, medo, insegurança, paralisia, nos faz colocar o pé no freio. Como explicar isso?

Nos jogos olímpicos vimos bons atletas brasileiros de nível internacional, reconhecidamente favoritos, simplesmente entregar partidas ganhas. A um ponto da decisão, a falha. A chance que o adversário precisava para recuperar o moral e nos vencer. De novo, a hesitação na hora H.

Há um complexo de inferioridade que nos corrói a alma, no esporte, na política, nos negócios e, ultimamente, nas artes também. Não é possível mais viver na ciclotimia de ser o melhor do mundo numa hora e o pior do mundo na outra. Igualmente, não é possível se deixar vencer pela hesitação, por um inimigo intimo que simplesmente nos faz perder oportunidades sem ao menos tentar aproveitá-las. (Vimos isso acontecer recentemente, no pequeno boom de empresas ponto-com. Fomos da euforia à depressão em semanas.)

Não estou propondo que as empresas façam auto-ajuda ou terapia. Estou propondo que tenhamos iniciativa. Que tenhamos a coragem de empreender e assumir os riscos inerentes a ser capitalistas em um mundo globalizado. Que passemos a trabalhar com a alegria de quem sabe estar fazendo algo útil para si, para uma organização e para a sociedade.

Chega de protelar planos, engavetar idéias, tolher ações, comprometer fornecedores e frustar parceiros. Falo isso como alguém que desenvolveu um plano de negócios, ganhou sócios e abriu uma agência nacional de propaganda totalmente voltada para a gestão de marcas, inaugurou esta agência no mesmo dia em que colocou o site no ar e ainda veiculou seu primeiro trabalho para um cliente. Como fazer isso senão vencendo a hesitação?

Da mesma maneira, não estou hesitando ao escrever este artigo. Estou ciente da responsabilidade das minhas palavras, dos meus atos e das minhas idéias. Vença a própria hesitação e você terá uma empresa de sucesso. Ceda à tentação de decidir, de agir na hora certa, e veja a oportunidade de ser docemente aproveitada pelo concorrente local, nacional ou multinacional.

Ou, então, simplesmente entenda como parábola a história em que nove jogadores determinados (ainda que um machucado) valeram mais que onze amarelados com medo da bola, derrotados que foram pela hesitação.

(*) Jacques Meir é publicitário, presidente
do Branding Estratégia e propaganda

Artigo publicado na revista
Exame/24 de janeiro de 2001

Anúncios

Sobre Wagner Bueno

Administrador, Consultor e Professor
Esse post foi publicado em ADMINISTRAÇÃO, Comportamento Organizacional, Empreendedorismo, Gestão Empresarial. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s