Encare sua carreira como um jogo de xadrez

As jogadas de raciocínio e estratégia do xadrez podem também ser usadas na vida profissional. Entenda como funciona essa relação

crescer

Você sabe quem são Wilhelm Steinitz, Alexander Alekhine, Garry Kasparov ou Viswanathan Anand e o que têm em comum? Não importando o seu século ou a nacionalidade, todos esses nomes têm no currículo vitórias históricas em campeonatos de xadrez. Bom, isso já é motivo para a nossa admiração. Mas, acredite: a conquista desses campeonatos provavelmente veio também de outro talento: a arte de saber administrar a própria carreira.
Sim, uma coisa tem relação com a outra: é possível relacionar regras do xadrez à questão da evolução no trabalho. Como não? Certas características dos jogadores de xadrez podem ser determinantes na vida profissional.

Para que você entenda melhor como isso possível, o Yahoo! entrevistou Ellen Giese – enxadrista e Diretora de Xadrez Feminino da Federação de Xadrez do Estado do Rio de Janeiro. A jogadora campeã destacou quatro atributos que ela considera fundamentais num enxadrista, atributos esses que – uma vez aplicados à vida profissional – podem concorrer para o sucesso nos mais diversos campos de atuação.

Foco e concentração

Ellen relacionou em primeiro lugar a questão do foco. Para ela – ao se deparar com as muitas nuances (possibilidades, alternativas, caminhos) dos tabuleiros – é preciso que o jogador saiba escolher um plano de ação e o conduza de maneira adequada, por meio do desenvolvimento de suas peças. Para a enxadrista, a segunda qualidade seria a capacidade de concentração.

De acordo com a sua visão sob esse prisma – diferente do foco na partida -, o jogador dever manter a atenção constante no seu jogo (ao longo de seu andamento) sem se deixar levar por agentes que desviem sua atenção durante a condução das jogadas. Assim é que, também na vida profissional, é preciso traçar um plano de metas (foco) e seguir a rota delineada sem distrações (concentração), independentemente dos acidentes de percurso. O quer que apareça pelo caminho não poderá tornar vulnerável – abalado, influenciado – o profissional; tal como o jogador, ele deverá estar atento e imune às surpresas cotidianas – e predisposto a adaptar-se, claro, quando as circunstâncias assim o exigirem.

 

Criatividade

Ellen Giese também falou sobre a importância primordial – para um jogador de xadrez e para um profissional – do exercício da criatividade:

“Existem centenas e centenas de livros de xadrez e vários softwares – como Fritz, Houdini, Rybka e Chessbase – que podem auxiliar o jogador em seus treinos e decisões durante a partida. Porém, o diferencial de um grande mestre neste esporte está na capacidade criativa de encontrar soluções inusitadas – inteiramente novas – que ‘exclamem duas’, como dizemos no meio enxadrístico, ou seja, que surpreendam o adversário sem uma garantia evidente”.

Ousadia/ Vencendo o medo de arriscar

Para Ellen, o jogador de xadrez também precisa ter coragem para jogar gambitos (partidas em que nos primeiros lances o jogador cede um peão de vantagem para o seu oponente) e realizar sacrifícios de peças ou posicionais. “Muitas vezes estas sequências são primordiais para o sucesso da partida, mas alguns jogadores fracassam pelo medo de ceder uma vantagem inicial”, explica. Portanto, além de ser destemido no jogo da vida no trabalho, o profissional precisa saber perder aqui e ali, no início, apostando em possibilidades futuras de outros progressos e vantagens.

O que dizem os coachs de carreira

De acordo com Pedro Eduardo Rodrigues – coach, consultor de carreira e autor do blog Dicas do Coach -, as composições do xadrez envolvem ciência e arte, além de estratégia, tática e sorte. Para o especialista, metaforicamente, o profissional deve encarar seu plano de carreira como o tabuleiro. “Para chegar ao xeque-mate da sua carreira, você tem que ter todos esses conhecimentos em harmonia”, complementa.

Ainda segundo Rodrigues, para dominar o que poderia ser chamado de a “ciência de sua carreira”, o profissional deve estar sempre atualizado sobre as tendências, estudos e novas pesquisas envolvendo sua área de atuação e outras relacionadas.

Já o quesito arte, segundo o consultor, refere-se em tese a uma questão de instinto, a algo como “dar asas à criatividade”. Este dom de imaginação ampliada, processo ou arte na condução da profissão torna-se uma marca própria, uma espécie de selo pessoal que ninguém poderá substituir.

download

 

Definições de tática e estratégia

A enxadrista Ellen Giese esclarece a diferença básica entre o jogador estratégico e o jogador tático. Segundo ela, o estratégico é aquele que conduz a partida em ritmo lento, procurando uma posição melhor para suas peças até que domine a partida com tranquilidade. O jogador tático, por sua vez, sugere movimentos agressivos desde o primeiro lance da abertura, até mesmo sacrificando as próprias peças para alcançar um final definitivo a seu favor.

Questionada sobre qual seria o perfil de jogador ideal, a enxadrista realçou: “É aquele que consegue unir características dos dois tipos”. Confirmando essa ideia de evolução gradual para o sentido de estratégia, o consultor, coach e estrategista multidisciplinar Roberto Madruga destaca que “o ser humano consegue prever riscos e gargalos no futuro para o seu sucesso. Dessa forma, criar estratégias para sua carreira é pensar em longo prazo, aproveitando oportunidades e evitando ameaças”.

Madruga explica que o xadrez, por não ser um jogo de curta duração, necessita de uma série de estratégias para que o jogador seja bem-sucedido. “De forma semelhante, o profissional que deseja sucesso na construção de sua carreira necessita de uma série de ingredientes para saber competir e vencer o jogo”, compara.

Segundo Roberto Madruga, além do approach da estratégia, existem quatro outras lições dos campeões de xadrez que podem ser seguidas e aplicadas, em âmbito empresarial para a condução de carreiras, independentemente da profissão exercida. Veja quais são esses ensinamentos e como eles devem ser trabalhados, de acordo com o especialista:

– Paciência: Quem deseja se desenvolver nas organizações deve entender que o tempo de abertura de oportunidades de promoção geralmente é mais lento do que a vontade de crescimento do profissional;

– Disciplina: O jogador de xadrez precisa seguir as regras preestabelecidas, do contrário será desclassificando, perdendo a partida. A disciplina o fará persistir e dar o melhor de si;

– Visão sistêmica: Visualizar que cada jogada feita no tabuleiro terá repercussões em todo o jogo é dever de todos que querem construir a vitória. Pensar sistemicamente é uma forma de “abrir a mente” para novas oportunidades;

– Persistência: Jogadores de xadrez às vezes ficam dias ou semanas para vencer uma partida. A persistência é a arma dos vitoriosos enquanto que a desmotivação é a bengala dos perdedores.

image001Material enviado pelo Acadêmico, aluno e colaborador do Blog Adão Francisco Silveira dos Santos – Acadêmico do 4° Semestre do Curso Superior de Tecnologia em Logística-Senac Chapecó

Fonte: SALVIOLI, Sayonara. Encare sua carreira como um jogo de xadrez. Disponível em http://br.financas.yahoo.com/noticias/encare-sua-carreira-como-um-jogo-xadrez-142200100.html. Acesso em  21 ago. 2013.

Anúncios

Sobre Wagner Bueno

Administrador, Consultor e Professor
Esse post foi publicado em Administração, Boas idéias, Logística. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Encare sua carreira como um jogo de xadrez

  1. Pingback: Encare sua carreira como um jogo de xadrez | As Enxadristas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s